terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Artesanato - Beleza Oriental

Origami - Ratinhos amigos


Kiriê - Ni Hana (duas rosas)


Kirigami - Convites de Casamento


Kusudama "Electra"

Kusudama


Origami Tridimensional - Rosa



Origami Tridimensional - Jarros de Flores



Origami - Dois cisnes



A sensível arte do Origami e Kirigami

Ainda adolescente o Pedagogo Felipe Maranhão teve contato pela primeira vez com a cultura japonesa. Através do curso de japonês da Universidade do Estado do Ceará (UECE) ele conheceu essa cultura rica e milenar que sempre lhe despertou intenso interesse.

Sua professora de Japonês certo dia apresentou a turma o que seria uma de suas grandes paixões até hoje: O Origami. Felipe com determinação aprendeu a arte da dobradura de papel e desde então não parou mais. Ministra hoje oficinas de Origami e Kirigami, além de desenvolver um belo trabalho com deficientes auditivos.

A arte do Origami nasceu na China mesmo antes do surgimento do papel. A técnica utilizava a seda, e se faziam recipientes de frutas para serem deixados nos templos em oferenda aos Deuses.
Com o surgimento do papel a arte do origami foi introduzida no Japão, sendo então aperfeiçoada e disseminada para todo o mundo. “Ori” que quer dizer dobra e “Cami”, papel, deram origem à palavra.

As figuras de origami têm para os japoneses diferentes significados. Tsuru (cegonha) simboliza felicidade e saúde. O Kusudama, (kusu-remédio + dama-bola) figuras onde são colocadas ervas aromáticas, são ofertadas a doentes para restabelecer a saúde. O Kusudama é colocado na cabeceira da cama do doente com o objetivo de equilibrar sua energia, promovendo assim sua cura.

Em suas diversas oficinas, Felipe também utiliza a arte do Kirigami, que vem do Japonês “Kiru” cortar, e “Kami”, papel. Assim como o Origami, o Kirigami cria representações de objetos e seres em papel, porém, recortando-os. Pode ser associado ao Origami trazendo uma nova representação artística chamada “Origami tridimensional”. O Kiriê, arte de formar figuras e desenhos através do corte do papel com um fino estilete, vem sendo bastante utilizado no design de tapetes e painéis.

Felipe conta que além de ter a possibilidade de criar diversas formas em papel, a arte do origami e kirigami trazem grandes benefícios a quem quer que esteja disposto a aprendê-la. Um exemplo disso é a pura satisfação de criação. Saber ser capaz de fazer belas figuras trás um grande ganho a auto-estima de qualquer pessoa. Outros benefícios se observam tais como, aprimoramento da paciência, melhora na concentração, desenvolvimento da coordenação motora, redução nos níveis de stress, dentre outros.

Mais do que simples dobraduras e recortes em papel, essas práticas milenares mostram muito da riqueza da cultura oriental. A delicadeza e sensibilidade orientais aos poucos se incorporam ao nosso dia a dia nos trazendo também todos os benefícios de equilíbrio interior que essa prática encerra. Usar a arte para representar figuras em papel é transformar através do amor. Trazendo assim a mais pura magia ao que se faz.

Texto: Eliza Souza

1 comentários:

Chris disse...

Oi, Eliza.
Lindas imagens! A cultura japonesa é maravilhosa! A decoração e o design simples, os jardins exuberantes... tudo é inspiração.
Infelizmente a cultura ocidental já começou a invadir o Japão e não demorará muito para que a raiz deles acabe como a nossa: resumida a artesanato e datas e comemorativas...

Quanto ao texto sobre o jornal na Caderneta, resolvi deixar para Fevereiro (se durante as aulas a participação da galera já não é "essas coisas", imagina na férias..."). Se você quiser preparar algo sobre a história do jornal e seus objetivos para que eu publique, ficarei muito feliz. Se não puder, te mando o que eu escrever por e-mail antes da publicação para você dar uma olhada.

Por falar nisso, já viu que A Caderneta está de cara nova. O que achou?

Abraços.

Postar um comentário